"O Início de tudo do Jornal Classilagos”

 

Quem somos 1 

         Na verdade tudo começou quando eu ainda era músico na cidade em Maricá/RJ na década de 90 e para conseguir realizar os meus shows, tinha o trabalho e a missão de produzir e colar meus cartazes divulgando os shows nos bares da época tipo Sangrias (ao lado da delegacia), do Tamarindos (Lagoa de Araçatiba), Pantanos bar (Bar do Sr Aguiar em Bambuí), e no Chão de Estrelas onde fiz muito sucesso; E ao colar o cartaz eu sempre me deparava com um papel na mesma parede colado ao lado aonde estava escrito (Vendo terreno) (Perdi meu poodle) (Alugo casa para a semana santa) eu percebí que já era hora de ter um serviço de jornal assim para a cidade, e como a minha grana era pouca com os ganhos da noitada, eu mal conseguia me sustentar como também nao iria conseguir pagar a universidade de minha filha que apesar de sempre ter estado longe, mas que sempre esteve em meu coração e então resolvi que iria mudar a minha vida e o meu sonho artístico ficou pra outra hora, então fui a luta pois sempre tive também o sonho de trabalhar com publicidade, e ai nasceu a idéia de colocar o primeiro jornal de classificados na cidade, aonde obstinado num determinado momento, em julho de 1996 estive na Papelaria da minha amiga Soninha da Torre de Papel em frente a Igreja de Nsa Sra do Amparo e realmente estava decidido e cheguei no balcão e pedi 2 resmas de papel A4 e duas canetas Bic e parti pra cima e andei quase toda a cidade a pé, e para inaugurar a seção de achados e perdidos fui até o DPO (Centro-Maricá) e pedi informações e anotei os documentos perdidos que haviam por lá , parei carros que tinham o anuncio de vendo apregoado em seus vidros e assim se deu, fui comércio por comércio mostrando que a idéia de um novo jornal era boa para todos, aonde mesmo assim levei muito “Não” mas os poucos que me disseram “Sim” foram o suficiente para bancar os custos e assim lançar os primeiros exemplares.

 

Quem somos 2

 Como fiz muitas amizades através da música na época, busquei apoio através de amigos do jornal “Outras Palavras” que era editado pelo Quaquá, Sérgio Mesquita, Rogério, Junior (in memória) o Moisés que era o diagramador, e assim foi produzido e confeccionado já no computador o primeiro jornal com o nome de “Classificados Maricá” e daí levei para a gráfica em São Cristovão que me exigia um cheque pré-datado como forma de pagamento da impressão de 2 mil do primeiro exemplar; 📷 Depois de tudo resolvido, fui buscar o jornal já impresso e tinha que transportar os pacotes para Maricá, e coloquei primeiro dentro de um ônibus de São Cristovão ao terminal Menezes Côrtes e de lá para dentro do ônibus da Viação Nsa.Sra do Amparo, ao chegar em Maricá fui logo distribuindo ali mesmo na antiga rodoviária que funcionava na praça onde hoje e a casa do futuro, e no sinal em frente ao Ponto Chic de carro em carro, e assim foi o maior sucesso! Foram distribuídos 2.000 mil jornais praticamente de mão em mão e assim foram encontrados documentos perdidos, se vendeu filhotes de animais, alugou casa, venderam terrenos, arrumaram emprego, etc e isso foi o suficiente para que nunca mais deixasse de frutificar e quando percebi a necessidade de procura pelo jornal vi que ele poderia servir também para toda a região, Então mudei o seu nome para “ Classilagos “ aumentando a tiragem para 5 mil, e logo em seguida para 10 mil exemplares. Para mim será muito importante ressalvar aqui outras pessoas que fizeram parte no desenrolar dessa história de sucesso! E por isso gostaria de lembrar e agradecer ao Quaquá pela grande força, ao Eduardo da Ótica, ao Sr. Amaro que era o jornalista responsável e ainda fazia as Palavras Cruzadas, ao amigo Antônio Saraiva que me ajudou com o crédito na compra do primeiro computador do jornal, ao Léo Santi que trabalhou muito nas primeiras edições, ao Sebastian, Léo Pulga que foram os primeiros diagramadores depois do Moisés e principalmente ao Andinho que ajudou muito no desenrolar do primeiro Classilagos colorido., Agradeço muito aos primeiros clientes que acreditaram de verdade na idéia e logo se tornaram os primeiros pontos de coleta de anuncios que é a Ótica Maricá (Eduardo), Araken Rações (Kenzinho e Família), Eletrônica Nsa.Sra de Nazareht (Jânio), Linda Flores (Sr Adélio), Farmais (Fernando e Marcelo), Maricarro (Pedro e Alessandro) Center 1 (Junior), CNA de Mara e (Sônia in memória)) Imaginação (Claudio) Farmácia Ponta Negra (Sr Walter), Sacolão do Russo (Russo), Sancal (Sr Reginaldo) Casas Vivas (Dinézio) Mercadinho Birinight (Tuninho “in memória”), Farmalagos (Letelba), 📷 Moinho do Sul (Hans), Garfo Pipa Dágua, Sr Raphael Bottino (In Memória), Astro Rei (Magali) Jô Modas (Sr Ricardo) agradecimento especial para o taxista Zé Reinaldo que busca o jornal até hoje e ao Fabinho que já há bastante tempo distribui o jornal por todo o município com muito cuidado e carinho, e tantos outros que não dá pra lembrar e citar tudo aqui.

 

        É sempre bom frisar que sempre temos que fazer a nossa parte e acreditar em Deus pois no trabalho executado com fé e perseverança armas implantadas que Deus nos dá quando acreditamos em algo de verdade.

 

Quem somos 3 Jornal num 1

Vale lembrar que hoje somos um dos poucos, talvez o   único que sobreviveu em Maricá, e que ao longo desses anos todos se formos colocar por baixo uma média de 10 mil exemplares ao mês, então seria 120 mil por ano X 15 anos = 1.800 Hum milhão e oitocentos mil jornais distribuídos x 3 leitores cada igual = 5.400 Cinco milhões e quatrocentos mil vezes lido nesses 15 anos. Hoje estamos sólidos e com uma tiragem de 15 mil exemplares na preferência geral, agora visando e direcionando atingir à toda a região dos lagos. Desde o número 1 até hoje, os anúncios tanto grátis como pagos, ainda são o maior sucesso aonde o objetivo é sempre alcançado. Dos anúncios de publicidade chegamos a ter cerca de mais de 200 anunciantes dos quais a maioria permanece até hoje por acreditar nos resultados, graças a um trabalho que desde o início levamos muito á sério desde a digitação dos textos à diagramação e principalmente a distribuição que por ser 99% gratuita, temos um cuidado a mais de Itaipuaçú à Ponta Negra. Agradecemos aos Clientes e principalmente à Deus e pedimos para que possamos servir cada vez melhor e assim permanecer e contribuir cada vez mais para o desenvolvimento de nossa cidade e região.

 

 

Carlos Soares, fundador.

(Maricá/RJ 18/1309/2013)